marcapaginas na minha pele lazaro ramos

Na minha Pele: leia, leia, leia!

Sempre busco encontrar novos olhares sobre diversos temas e pautas na sociedade. Quando vi que Lázaro Ramos havia escrito um livro para tratar um pouco sobre racismo, achei que era a hora de sentar e ler as palavras de quem sabe o que fala. Podemos usar os argumentos que quisermos, mas quando se trata de discriminação de raça, a voz de quem sente ou já sentiu na pele, terá cem vezes mais peso. Deixo claro que isto não é motivo para você cruzar os braços, a luta contra o racismo é de cada um que vive neste país, mas é preciso deixar eles nos guiarem.

Na minha pele foi publicado pela editora Objetiva, do Grupo Companhia das Letras, e trazna-minha-pele-2 em suas páginas as reflexões de Lázaro Ramos sobre temas como ações afirmativas, gênero, família, empoderamento, afetividade e discriminação. O livro não é uma autobiografia, mas Lázaro compartilha conosco um pouco de sua história e trajetória que faz ele ser quem ele é hoje e pensar como pensa hoje. Ao rejeitar qualquer tipo de segregação ou radicalismos, Lázaro nos fala da importância do diálogo. Não se pode abraçar a diferença pela diferença, mas lutar pela sua aceitação num mundo ainda tão cheio de preconceitos.

De uma maneira leve e sincera, o escritor nos mostra como diversas ações que passam despercebidas por grande parte dos brasileiros, são discriminatórias e alimentam cada vez mais o racismo enraizado da nossa sociedade. Lázaro Ramos, munido de diversas referências, consegue nos fazer enxergar e ficar atento com as mazelas que tornam o Brasil um país excludente, um país que veladamente extermina a raça que faz parte de suas origens.

Acredito que Na minha pele é uma ótima leitura para discutir o tema em salas de aula e contribuir para o incentivo da leitura. A narração fluida faz com que a voz de Lázaro Ramos ecoe na nossa cabeça conforme lemos cada palavra. A linguagem clara e objetiva nos faz sentir próximos ao escritor, como se estivéssemos assistindo ao seu programa Espelho, no Canal Brasil.

A dica é que leiam o livro, releiam se puder, conversem, discutam, analisem, observem e por fim, contribua com a luta contra a discriminação por raça. Se a mudança começar por você, pelos valores que você passa para seus filhos, amigos e família, já é um grande passo para tornar o país bom para ser negro, pardo, vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil, violeta e qualquer outra cor, raça, gênero que houver neste mundão tão complexo.

 

“Não há vida com limite preestabelecido. Seu lugar é aquele em que você sonha estar” – Lázaro Ramos

NINGUEM NASCE HEROI CAPA MARCA PAGINAS

Ninguém nasce herói: Distopia brasileira apaixonante

Sabe aquela tristeza de terminar um livro e não ter ninguém para conversar sobre? É como eu me sinto agora. Já estava com este sentimento durante a leitura de Ninguém Nasce Herói, escrito por Eric Novello, agora que terminei, só aumentou. Tive a oportunidade de ler a prova antecipada da obra pela Editora Seguinte. Como a previsão de publicação é apenas na sexta-feira (7), vou ter que esperar mais um pouco para poder comentar sobre esta distopia não tão distópica assim.

O livro se passa em um futuro onde o Brasil é liderado por um fundamentalista religioso. O ninguem nasce heroi eric novello marca paginaspaís, regido por um regime totalitário onde a censura é comum, está dividido entre apoiadores religiosos e oposição. Distribuir livros na famosa Praça Roosevelt, de São Paulo, é um ato de desafio e rebeldia que pode gerar graves consequências.

Chuvisco, tentando mudar sua realidade em busca de mais liberdade, encontra na distribuição de livros censurados, um pequeno ato que pode fazer diferença, porém, o governo e a polícia não são mais as suas únicas preocupações. Os apoiadores do governo, insatisfeitos com a ‘passividade’ da gestão, resolvem fazer justiça com as próprias mãos e criam a Guarda Branca, tornando São Paulo uma cidade mortal para qualquer ser que se opusesse às ideias religiosas. Aos poucos, distribuir livros não será mais o suficiente e Chuvisco precisará contar com o apoio e fidelidade de seus amigos se quiserem de fato, mudar a situação do país.

A sinopse de Ninguém Nasce Herói em si, já me chamou a atenção. Nunca havia lido uma distopia brasileira e, ter a oportunidade de ler uma que se passa em São Paulo, a cidade em que moro, é uma experiência incrível. Já agradeço Eric Novello por ter me proporcionado a possibilidade de imersão nesta distopia que acredito não ser tão distópica assim. Em uma narração fluida, podemos conhecer Chuvisco e seus amigos, que são personagens completamente cativantes. A amizade e cumplicidade do grupo é um exemplo para todos que vivem suas vidas ligadas às redes sociais e devices.

O enredo extremamente viciante faz com que você devore as páginas em poucos dias. Acontecimentos que irão te deixar sem fôlego farão com que você se aproxime ainda mais de cada personagem e sinta falta de suas personalidades ao acabar o livro. Ninguém Nasce Herói é um livro apaixonante que ainda possibilita a reflexão sobre a atual realidade política do nosso país. Permita-se viajar nas páginas escritas por Eric Novello e não irá se arrepender.

Nota para o autor: Realmente agradeço por ter enfrentando esta montanha russa emocional durante o processo de escrita de Ninguém Nasce Herói  e sim, algumas pessoas leem os agradecimentos.

“A verdade é que ninguém nasce herói. Mas isso não nos impede de salvar o mundo de vez em quando”. – Ninguém Nasce Herói

Flipop
O autor, Eric Novello, estará na FLIPOP autografando o livro! Veja mais informações sobre o evento no link.